Tuesday, May 1, 2012

LAILA CURI

Laila Curi at the peak of her singing career in 1959.
Laila Curi em reportagem da Revista do Radio de 30 Agosto 1958.
Laila Curi na feira da Praça Roosevelt à esquerda. A direita, Laila em companhia de sua sobrinha e Leonel Gualter, atravessam a Avenida Ipiranga com a Avenida São Luiz em São Paulo.

São Paulo, que já projetou grandes cartazes - Maysa, Agostinho dos Santos, Roberto Luna, Isaurinha Garcia, Elzinha Laranjeira - tem agora uma nova voz-sensação: Laila Curi.

Tendo começado a cantar em reuniões familiares, Laila, que pertence a tradicional família da colônia síria de São Paulo, tornou-se profissional mais como um meio de desenvolver seus dotes artístico do que buscando remuneração para seu talento. É que sua família é de grandes posses, como os leitores podem ver, pelas fotografias de sua residência que ilustram essa reportagem.

Um dia, Laila resolveu fazer um teste nas Emissoras Associadas paulistas e foi imediatamente contratada. Desde suas primeiras audições, sempre se apresentou da mesma forma: sem qualquer nervosismo ou embaraço. O seu programa de estréia foi feito empregando-se o recurso do 'play-back', ou melhor explicando, foi dublado, o que mostrou a sua grande capacidade de se adaptar às dificuldades impostas pela necessidade de programação.

Pouco depois de sua estréia no radio, foi contratada pela RGE, que a fez assinar um contrato de 2 anos e logo lançou seu primeiro disco, no qual Laila apresenta musica que que se tornou seu prefixo na TV Tupi, 'Sodade véia' e 'Mamim', esta última uma rumba-árabe, seu grande sucesso em São Paulo. Devido ao êxito desta gravação, Laila já fêz seu primeiro LP na RGE.

Mesmo famosa, Laila faz questão de não alterar muito seu ritmo de vida: não dorme depois da meia-noite e não acorda depois das 8 da manhã. Ainda não sabe o que é uma boite por dentro; não fuma, não bebe nada que contenha alcool e é religiosa praticante. Em casa é a querida da família e tem uma vida normal, gostando muito de ir à feira. Só se lembra que é artista nas têrcas-feiras, dia de seu programa.

Laila foi duas vêzes campeã paulista de volley-ball e uma vêz campeã brasileira. Atuou no quadro do Clube Athlético Paulistano e na Seleção Paulista. Ela é enfermeira formada [samaritana]. Ainda não achou seu 'príncipe encantado'. Mas assim que encontrar, casará e gostaria de ter quatro filhos e dedicar-se completamente à sua vida caseira, deixando por completo a vida artística. Mas faz questão que o eleito tenha gôsto pela música, para cantar em casa e sentir o aplauso da 'platéia' caseira.

É fã de Angela Maria, Mysa, Sylvio Caldas e Dorival Caymmi. No futebol, torce pelo São Paulo FC e no Rio pelo Flamengo. Adora o mar e a vida simples.


Laila... A noite e a música - RGE - XRLP 5026 - 1958

1. Ondas do mar            1. Era bom 
2.  Minha véia                 2. Daddy Lolo
3.  Ya Habibe                  3. Souvenir 
4.  Além                          4. Sodade véia 
5.  Se ele vier                  5. Quando a saudade vem chegando 
6.  Mamim                       6. Passado, presente e futuro. 

para ler a critica do LP de Laila Curi feita por Toque Musical:



Laila Curi, cantora de origem libanesa, surgiu em São Paulo em 1957, fez parte do ‘cast’ da RGE em sua fase de ouro. Gravou inicialmente dois discos de 78 rpm com temas folclóricos nacionais e árabes. A singularidade ao cantar músicas libanesas e também em inglês, lhe garantiram programa próprio na TV Tupi, Canal 3. 

Neste 1o. LP ha um repertório curioso, mesclando toadas, beguine, samba canção, música árabe e até uma espécie de rock libanês. Como destaque temos a música “Minha Véia” tema popular recolhido pela cantora e “Passado, Presente e Futuro”, samba canção de Billy Blanco. As orquestrações e arranjos são dos Maestros Simonetti e Rubens Perez “Pocho”.

Daddy Lolo it's Oriental rock 'n'rollo

O rock-oriental "Daddy Lolo", que Laila canta em seu LP, foi composto e gravado originalmente por Charles "Chick" Ganimian, em Novembro 1957, e lançado pela East-West Records - braço da poderosa Atlantic [ATCO]. Ganimian nasceu em Troy, NY, USA, de pais Armênios, que imigraram da Turquia. Portanto "Chick", ou "Hachik" [como é conhecido na Russia] falava armênio e turco, alem do inglês. Ganimian tem um LP em catálago [ATCO-35-107] chamado "Come with me to the Casbah" - Ganimian & His Oriental Music, onde ele toca o "oud" [uma espécie de alaúde], que você pode ouvir na gravação da nossa querida Laila.

Daddy lolo daddy lolo lolo
means it's oriental rock and rollo
daddy lolo daddy lolo lolo
turna around and do a solo

Daddy lolo daddy lolo lolo
hand-in-hand you dance and keep your toe
daddy lolo daddy lolo lolo
rock and roll in oriental tempo

Ai está a letra bem "engraçadinha" de Rock'n'rollo, oriental style.


'Mil e uma noites'  RGE - XRLP 5052 - Laila Curi - 1959

1.  Canção dos meus vinhedos              1. Moça bonita
2.  Soraya                                               2. Minha mãe
3.  O amor de Laura                               3. Meditação
4.  Carícia de amor                                 4. Visita
5.  Minha terra                                        5. Olhar fascinante
6.  Ya Hala Ya Hala                                6. Ya Habibe

com Orquestra RGE conduzida por Pocho (Ruben Perez)

Alaíde Costa, Abelardo Barbosa & Laila Curi.
Roberto Luna, Silvio Luiz, Maysa... e Laila Curi em segundo plano, olhando para trás; no intervalo da entrega do prêmio Roquette Pinto da TV Record.


Laila Curi nasceu em São Paulo. Filha de imigrantes libaneses originarios de Duma. Quando ainda criança de colo a familia Curi retornou ao Líbano onde seu pai lecionava na Universidade de Beirut. Lá morou seis anos com os pais e os irmãos.
 
Aos cinco anos de idade, Laila cantou num evento da Universidade. A familia Curi era da religião presbiteriana e foi no coral da igreja que desenvolveu sua voz e musicalildade. Após retorno ao Brasil, aos 18 anos fez seu primeiro solo na igreja, e como ela diz: "desde então não parei mais de cantar em louvor".
 
O estrelato de Laila Curi aconteceu quase por acaso. Sua voz grave e a afinação já impressionavam os familiares e amigos que sempre solicitavam seu talento nas festas e eventos sociais. No entanto, a rígida moral da sociedade brasileira de então trazia empecilhos àqueles que pensavam em seguir carreira artística.

O preconceito certamente atingia ainda mais as mulheres, taxadas e estigmatizadas pela mentalidade conservadora. Laila se recorda da expressiva e controversa figura de Maysa Matarazzo, então no auge: "ao lado de Dolores Duran, Maysa é uma das maiores influências na minha carreira" - aponta.

Em julho de 1957, Laila fez um teste na TV Tupi apenas para ganhar uma aposta. Cantava em festas de amigos e, ao perguntarem porque não tentava entrar para a TV, ela dizia que sua mãe não permitia. Eles não acreditavam e diziam que era medo de ser gongada em programa de calouros.

Com seu violão a tiracolo, Laila compareceu então a uma entrevista na TV Tupi, quando cantou cinco canções em árabe, português, espanhol e inglês. Cassiano Gabus Mendes e Homero Silva, os homens-fortes da Tupi, estavam presentes, e no mesmo instante a contrataram para o cast da emissora. Durante um mês, fotos e entrevistas suas sairam nos jornais Associados até o dia da estreia de seu programa.

Logo em seguida foi contratada pela RGE onde gravou 'Sodade véia' e canção M'amin, uma rumba oriental trazida ao Brasil pela libanesa Hannan, que foi considerada moderna demais por alguns membros da colônia árabe da época, mas causou impacto entre os brasileiros para quem a cultura árabe ainda era vista com bastante exotismo.

 Laila, a Noite e a Música

Em 1958, Laila grava na RGE o LP "Laila... a noite e a música" com um repertório curioso, mesclando toadas, beguine, samba-canção, música árabe e até uma espécie de rock libanês. Como destaque há a música "Minha véia" tema popular recolhido pela cantora, que fazia muito sucesso em suas apresentações ao vivo, onde Laila fazia questão da participação da platéia na resposta de 'os pintinhos píu, os pintinhos píu...'. O LP é considerado muito bom até os dias de hoje e se tornou um item de colecionador valioso. As orquestrações e arranjos são dos Maestros Simonetti e Rubens Perez, o  "Pocho".

Por conta desta receptividade entre a comunidade sirio-libanesa, a RGE decidiu gravar 'Mil e uma noites', um LP todo cantado em árabe. A alta venda entre os membros da colônia, assim como entre os curiosos brasileiros, era muito mais uma certeza do que uma expectativa.

Edgar Gebara & Laila Curi em 6 Março 1961.

No dia 6 de março de 1961, Laila Curi se casou com Edgar Gebara na Catedral Presbiteriana, abandonando a carreira artística para se dedicar apenas à sua familia. Teve três filhos e dois netos. Ela lembra que o marido sempre a apoiou incondicionalmente, afinal, os dois se conheceram em uma festa, mas o namoro começou quando Edgar a viu cantando a música "Eu sei que vou te amar" de Vinícius de Moraes em apresentação que fez na TV Tupi sob a direção de Luiz Galon. Ele e outros amigos de Laila estavam nos bastidores e naquele dia o pedido de namoro foi oficializado.

A decisão de abandonar os palcos partiu da própria Laila, que aliás diz não sentir nenhum tipo de arrependimento por sua decisão. Edgar era diretor de uma multinacional e devido às muitas viagens que a família fazia, ficaria difícil para Laila assinar contratos com gravadoras e redes de TV.

Como presente da sua gravadora RGE, grandes aparelhos Ampex foram levados à igreja com uma fita gravada por ela no estudio, com orgão. Na hora da benção, sua voz encheu a igreja com um hino pedindo as bençãos de Deus.


Casamento de Laila Curi e Edgard Gebara na 'Revista do Radio' de 15 Abril 1961.

Láila Curi, cantora das Emissoras Associadas de São Paulo, contraiu núpcias com o engenheiro Edgard Gebara. A noiva teve por padrinhos, no civil, o casal Carlos Bianco, d. Menta Rebene e sr. Jorge Antar. Do noivo foram padrinhos, o casal Mário Mari, sr. Alair Amarante e d. Salua Curi. A cerimônia religiosa, realizada às 19:00 h do dia 6 de março de 1961 na Catedral Evangélica de São Paulo, foi assistida por destacadas figuras da colônia sirio-libanêsa, artistas de radio e TV e numeroso público admirador da cantora. No religioso, o sr. Carlos Jafet e senhora, d. Inês Mokdessi e o sr. Edmundo Monteiro, superintendente das Emissoras Associadas, e por parte do noivo, o sr. Demétrio Calfat e senhora, srta. Margareth Gebara e sr. Charles Stephens. Terminado o ato, a voz de Láila Curi, em gravação, entoou um hino sacro inspirado no ato solene dos esponsais. Foi uma cerimônia nupcial de grande beleza que emocionou a todos os paulistas. 'Revista do Radio' 15 Abril 1961.  

Laila Curi em foto recente.
RGE's EP 90.079 'Alguém é de alguém' (would be anti-thesis of 'Ninguém é de ninguém') plus 'Menino dos ôio meu' (folk song), 'Primeira estrela que vejo' and 'Serenata'. 


27 Agosto 1960 - Laila Curi in concert in Marilia-SP

assim aparecia o anúncio no 'Correio de Marilia':

Laila Curi - a maior sensação da televisão paulista apresenta-se às 20:30 no Salão Nobre do Colégio Sagrado Coração de Jesus, em benefício da 4a. série ginasial nocturna do Ginasio São Bento.

As 23:00 Laila apresenta-se no Clube Sírio-Libanês, patrocínio exclusivo de Chácaras Jussara, promoção da PRI-2, Radio Clube de Marília.

Fiquei fã de Laila Curi em 1960, quando ela fez uma tournee pela Alta Paulista - região a 500 km a oeste de São Paulo - e cantou no Salão Nobre do Colégio Sagrado Coração de Jesus, recém-inaugurado e o melhor espaço cultural de Marília. Eu tinha 10 anos. Não fui ao concerto, pois era... criança.

Acontece que a Radio Clube de Marília, PRI-2 tinha o habito de gravar shows de cantores visitantes e os apresentava na íntegra em um programa que ia ao ar ao meio-dia do dia seguinte.

Foi justamente ouvindo a gravação desse concerto que me tornei fã de Laila Curi. Ela comandou o espetáculo com tal maestria e fez o público, que superlotava a casa, fazer coro em resposta ao canto folklorico 'A minha véia'... e no final o teatro inteiro entoava... 'e os pintinhos piu, os pintinhos piu...' Laila me cativou para sempre.


P.S.: como já dito acima, o espetáculo do Sagrado Coração foi devidamente gravado pelo pessoal tecnico da PRI-2 e reapresentado na 2a. feira ao meio-dia, no programa de maior audiência daquela simpática cidade-moça. Não se esqueçam que naquela época, as pessoas iam almoçar em casa e audiência radiofônica tinha seu 'pico' ao meio-dia. 

'Almôço com as estrêlas' transmitido todos os sábados das 12:00 as 13:00 horas pela TV Tupi, Canal 4 de São Paulo desde 1956, completa 4 anos em Agosto 1960. 
Laila Curi canta ao fundo enquanto os artistas se alimentam... 

Ayrton Rodrigues entrevista Hebe Camargo e Lolita Rodrigues assiste, enquanto Laila Curi encanta o pessoal da mesa.

Revista do Radio reports on Laila Curi
RR introduces Laila Curi in mid-1958; Laila is chosen as revelation of 1958 by journalists.
Laila leaves her weekly TV show on TV Tupi and goes to the USA to have a nose job done.
Laila among the most popular performers in S.Paulo.
In mid-1959 Mondays had Orlando Silva at 21:00 TV Paulista; Morgana at 22:10; Tuesdays had Angela Maria at 20:35 (TV Record) & Laila Curi at 22:05 (TV Tupi); Wednesday had 'Espetáculos Maysa' at 20:30 & 'Espetáculos Leny Eversong' at 21:05 (Record); Fridays had Lana Bittencourt at 20:30 (TV Paulista) and Sylvio Mazzucca at 21:10 (Tupi); Saturdays had 'Discoteca do Chacrinha' at 12:00 and 'Almoço com as estrêlas' at 13:45 (Tupi). Ivon Curi & Laila Curi (no relation) pose for a picture. 
Laila finally poses with her brand-new nose for Revista do Radio - 1959.

MC Sonia Ribeiro with Laila Curi who signed with RGE during the 'Denis Brean Hour' at Radio Record in Sao Paulo in early 1958.
Radiolandia's review of 'Laila, a noite e a música' when it debuted at TV Tupi in early 1958. Laila would be on TV Tupi most of 1958, 1959 and 1960. 
pianist and orchestra conductor Pocho greets Laila Curi at RGE where they recorded together.
Radiolandia says: Laila Curi has appeared already as a major star! Laila was probably one of the first singers who shot to stardom relying on television as a new medium. This was something completely new for a country that had a few thousand TV sets yet.
Radiolandia kept on praising the sudden stardom of Laila Curi. Columnist Mauro Pires chronicles Laila's recording career: her first single was 'Mamim', sung in Arabic b/w 'Sodade véia', a Brazilian folk tune.  In July 1958, RGE released Laila's first album.
Laila Curi goes to Rio... and is greeted by Radiolandia as a veritable star... 

Laila ready to fly to the USA.
RGE executives Jacques Netter and Leonel Gualter bid adieu to Laila who flies to the USA.
Laila is back in Brazil with a brand-new nose... 
Laila Curi's exposure at Rio de Janeiro's 'Radiolandia' magazine was amazing.
'Radiolandia' never tires of praising how good Laila Curi was. 
Radiolandia's gossip Comadre Eudóxia notices Laila Curi changed her dressing code after the nose job... she wore sexier dresses... 

Laila Curi's wedding was the end of her singing career... 
even after Laila had got married 'Radiolandia' still found a way of talking about her...
Radiolandia's columnist Sarita Campos writes extensively about Laila's qualities...

4 comments:

  1. Preciso encontrar o Edgard Gebara, meu amigo e marido de Laila Cury

    ReplyDelete
    Replies
    1. Pelo que eu sei, Laila e Edgard Gebara ainda estão vivos e moram em São Paulo, no Alto de Pinheiros, pelo que me disseram.

      Delete
  2. Desejo saber se Laila é irmã do Dr. Nagib Cury (meu colega e amigo em 1954-55 no Kings County Hospital NY) e se o mesmo ainda está vivo. Grato

    ReplyDelete
  3. olá Roberto Junqueira de Alvarenga... infelizmente não tenho dados para responder sobre o Dr. Nagib Cury... no tempo de Orkut eu tinha contato com uma filha da Laila Curi, que morava na Florida, Estados Unidos, mas com o final do Orkut eu acabei perdendo esse contato... Se souber alguma coisa, volto a contata-lo. Obrigado pela visita.

    ReplyDelete