Wednesday, August 8, 2012

Rainha das Atrizes - 1933 a 1950

Uma das festas já tradicionais de nosso teatro é o Baile das Atrizes que se realiza para a coroação de uma rainha que durante um ano empunha o cetro de soberana da classe teatral.

Ao soarem as 12 badaladas que marcam o início do Carnaval, Rei Momo I e único, usando de seu curto poder, corôa a atriz que por eleição tenha conseguido o disputado galardão.

O Baile das Atrizes data de 1933 e se deve aos esforços de Rego Barros, que conhecendo as necessidades de nosso teatro e sua eterna crise, imaginou algo que o pusesse em evidência. Achou a solução na organização de um baile. O sucesso seria estrondoso e isto porque revelaria ao publico os mistérios do caixa-de-teatro considerados verdadeiros tabús.

Com o baile surgiu a idéia de uma rainha. Seria uma rainha-do-teatro eleita pelo pessoal de teatro. 

Reportagem da revista Carioca, de 28 de Agosto de 1950.

Regina Maura [1933], a 1a. Rainha das Atrizes, trocou a ribalta por um assento na Câmara dos Deputados. É a deputada Conceição Santamaria em São Paulo.
Regina Maura da Companhia de Theatro Procópio Ferreira [vista aqui com o próprio] foi de Rainha das Atrizes em 1933, a Redentora dos Hansenianos ou Mãe dos Leprosos entre 1946 a 1970, quando foi a deputada Maria Conceição da Costa Neves. Durante as 15 legislaturas na Assembleia Legislativa de São Paulo, autora de vários projetos que se transformaram em Leis para beneficio dos hansenianos do país. 
Deputados Ulisses Guimarães & Maria Conceição da Costa Neves ex-Regina Maura.
deputada Maria Conceição da Costa Neves junto à Getúlio Vargas.
deputada Conceição Neves Santamaria na eleição de Outubro de 1951.
Lu Marival [1934] Quando eleita, Lu ainda não era atriz e as outras pretendentes ao cetro reclamaram da ‘intromissão’. Lu, cuja candidatura que fora lançada pelo teatrólogo Paulo Magalhães, somente estreou no teatro na Cia. Renato Viana representando ‘Deus’ em 1936. Lu Marival [também] já abandonou o teatro, mas voltará breve ao sem-fio. Eva Todor foi eleita Rainha em 1935 [com apenas 15 anos] e 1937. Aracy Cortes reinou em 1939. 

'Rainha dos Artistas', 'Rainha do Theatro', 'Rainha das Atrizes' são três nomes usados para designar a atriz ou pretendente a tal que vencia um concurso na base de venda de votos.

1933 – Regina Maura
1934 – Lu Marival
1935 – Eva Todor
1936 – Lygia Sarmento
1937 – Eva Todor
1938 – Gilda de Abreu
1939 – Aracy Cortes
1940 – Alda Garrido
1941 – Margot Louro
1942 – Mary Lincoln
1943 – Nena Napoli
1944 – América Cabral
1945 – Edelweiss Dias
1946 – Mara Rubia
1947 – Wahyta Brasil
1948 – Aimée
1949 – Cléa Susana
1950 – Mara Rubia


Gilda de Abreu [1938] - convidaram-na a tomar parte das eleições enquanto descansava das filmagens de 'Bonequinha de Sêda'. 
Lygia Sarmento [1936] se elegeu porque houve empate entre Alma Flora e Guy Martinelli, e essas, para evitar desentendimento, transferiram seus votos à Lygia, que se sagrou Rainha das Atrizes. Alda Garrido [1940], a glória de nosso teatro de comédia, foi eleita por seus fãs e só ficou sabendo no ultimo dia que vencera o certame. Margot Louro [1941] a espôsa do Oscarito.
Mary Lincoln [1942] voltará ao teatro em 1950 contratada por Barreto Pinto. Nena Napoli venceu o concurso em 1943, mas foi alvo de campanha violenta de intimidação por parte de Dercy Gonçalves que ambicionava o galardão. Napoli teve que ser protegida por guarda-costas temendo por sua integridade física. America Cabral [1944] candidatou-se por insistência de amigos e acabou levando, para logo depois abandonar o teatro. Parece até que a maioria das eleitas abandonavam o teatro nos anos subsquentes, provando que ser Rainha das Atrizes era uma condenação à morte de suas carreiras.
Edelweiss Dias [1945] ainda não era atriz quando foi eleita. Hoje [1950] é funcionária pública de um de nossos ministérios... mostrando que a corrupção política era escancarada naquele tempo. 
Wahyta Brasil [1947] chorou no dia anterior de sua coroação pensando que tinha sido derrotada. Mara Rubia foi eleita Rainha em 1946 e 1950.
Aimée era pseudônimo de Haidée Salles Lemos, que com Procópio Ferreira foi pioneira do vaudeville no país. Vaudeville é um tipo de comédia leve, brejeira ou picante, que vive de qüiproquós, tramas complexas e situações imprevistas. 
Aimée [1948], a alegre bahianinha teve cabos eleitorais competentes. A partir de 1948 as eleições passaram a ser feitas através de coupons publicados em um de nossos jornais. Cléa Suzana [1949] atriz de cinema, radio e teatro gastou mais de 20.000 cruzeiros comprando o jornal onde eram publicados os votos e com isso logrou sair vencedora. Pouco depois de eleita surgiu um escândalo envolvendo seu nome e sua eleição, mas seu reino não foi ‘impugnado’. 
Cléa Suzana não se conformava de não ser Rainha das Atrizes. Depois que provou da fruta proibida, contaminou-se com o veneno. 
Cléa Suzana gritou em bom tom que seria Rainha das Atrizes novamente... mas isso não se deu e ela teve que engolir suas palavras. Como diz o dito popular: Em boca fechada não entram moscas.

Cléa Suzana não era peixe mas morreu pela boca... muito falastrã!!!

1 comment:

  1. Errata,a primeira "Rainha das Atrizes "foi Margarida Max,promovida pelo jornalista:Noraes Cardoso(jornal A Noite).

    ReplyDelete